1.8.09

Cláudio Coelho, Licenciado em Informática, de Itália e Alemanha para Portugal

Eu licenciei-me em Informática na Universidade Nova de Lisboa em 2005. A primeira experiência que tive lá fora foi na Alemanha onde fiz o estágio em Inteligência Artificial na Agência Espacial Europeia (ESA). Esse estágio abriu-me naturalmente muitas portas, primeiro uma oportunidade de ser consultor num centro de investigação em Portugal e depois a possiblidade de voltar ao estrangeiro, desta vez Itália, novamente para a ESA, onde viria a ficar 15 meses como engenheiro de segmento de terra. Contudo, quando ainda estava em Itália, consegui a oportunidade de começar a trabalhar para projectos da ESA como freelancer no país que quisesse e decidi voltar a Portugal.
Qualquer experiência de viver no estrangeiro (principalmente se for no contexto laboral e não só Erasmus) dá-nos uma perspectiva importante sobre o nosso país de origem. Percebemos que Portugal realmente tem muitas desvantagens, mas também que a frase de "lá fora não é assim" muitas vezes não se aplica e que há coisas em Portugal que são muito vantajosas, nomeadamente a qualidade de vida. Adorei viver e trabalhar fora de Portugal, tanto pelo que me acrescentou a nível profissional, como pelo que me acrescentou a nivel pessoal.
Na Alemanha gostei do facto de que tudo, desde transportes até serviços de saúde, funcionava bastante melhor, mas não gostei do frio, da mentalidade fria de distante das pessoas, da comida e da lingua. Em Itália gostei das pessoas quentes, da comida, do tempo (não tão bom como o do Algarve, mas ainda assim bastante agradável), mas o caos que encontrei foi tal que deixei de pensar que os Portugueses não sabiam o que era civísmo, além de que me incomodou também o facto de ser uma sociedade onde valores superficiais são tão valorizados.
Por sua vez, uns tempos depois de voltar a Portugal, realmente me senti incomodado pela falta de muitas coisas a que me habituei no estrangeiro. Ainda me incomoda a actual situação política, tanto do lado dos políticos, como do lado dos próprios portugueses, a maioria dos quais ainda parece preso a uma mentalidade algo retrograda produto certamente dos esforços do anterior regime. Os portugueses metem facilmente a culpa neste ou naquele político, mas no fundo, os culpados somos nós.
Digo também que este regresso a Portugal ocorreu muito antes do que esperava, mas no fundo, conseguindo as vantagens financeiras de trabalhar para outros países da Europa, apraz-me bastante estar em Portugal pelos benefícios que me oferece em termos de qualidade de vida. É verdade que em Portugal, principalmente no Algarve, não há o andamento cultural que tinha em Frankfurt ou Roma, mas para quem aprecia um ritmo de vida mais pacífico, muita praia e outros pequenos prazeres, Portugal revela-se um um país de residência muito agradável.

Se algum dia deixar de ter a posição profissional vantajosa que tenho, provavelmente experimentarei outro voo lá fora, mas caso contrário acredito que fique por cá enquanto alimento a minha paixão por outras culturas através de muitas viagens.

13 comments:

SeuAndré said...

Small World!
Abraço!

Infrascati said...

Very small world, indeed!
Ler o teu artigo fez-me relembrar o ESRIN. Boa sorte com os teus projectos.
Um abraço.

r i t a said...

Por acaso estou totalmente de acordo contigo quando dizes que a mentalidade portuguesa é algo retrograda...e eu só posso comparar com Espanha!

MrRogers said...

Small world wide web... :)
E vai mais um ex-ESRINer, por agora de novo em Portugal.
Abraço!

Erebrus AlMighty said...

Hehe é realmente engraçado que seja um mundo tão pequeno :)

Destination said...

Na verdade o que sempre me tem mantido em Portugal é mesmo a possibilidade de teres uma qualidade de vida que não tens em lado nenhum do mundo. Consegues ter uma casa razoável, um carro, ir a restaurantes, apreciar cultura, viajar e não precisas ser propriamente rico para isso. Nos outros locais tens de partilhar um quarto, andar de metro, contar os tostões se queres jantar fora, não tens praia nem sol... é pena que a mentalidade portuguesa seja essa mesquinhez e pobreza de espirito, o que nos torna, de facto, eternos insatisfeitos: se por um lado tens de tolerar esta sociedade que te deixa deprimido, por outro tb não tens coragem de sair porque não queres largar a qualidade de vida que tens. Acho que desta forma tb nunca seremos felizes!

sguna said...

No IST, recentemente, ofereciam ima bolsa para pós-doutoramento de cera de €27000 por 18 meses. No R.U. bolsas semelhantes rondam as £30000/ano e não é em Londres. Como é que eu consigo ter uma:"casa razoável, um carro, ir a restaurantes, apreciar cultura(?!?!?!), viajar" com €1500/mês em Lisboa?

Erebrus AlMighty said...

Eu concordo com o/a sguna, por isso é que disse no post que uma condição para poder aproveitar a qualidade de vida que Portugal tem para oferecer, é importante resolver bem a situação financeira.
1500 por mês não dão para grandes luxos numa cidade como Lisboa. E quão grande é a percentagem de pessoas a ganhar muito mais que isso? Aí é que está...

tagskie said...

hi.. just dropping by here... have a nice day! http://kantahanan.blogspot.com/

Diogo em Macau said...

Estive agora a passar férias em Portugal e, deixa-me dizer que não partilho dessa opinião de que em Portugal haja uma mentalidade retrógada.
Pelo menos não em Lisboa e no Porto.
Os Portugueses são tão ou mais sofisticados que os outros europeus:
- os que têm estudos têm, em média uma cultura geral superior à dos outros europeus nas mesmas circunstâncias;
- falam melhor línguas estrangeiras (então se comparares com os Italianos que conheces bem, nem se fala...);
- estão abertos a novas ideias e gostam de as discutir...
Se calhar já acabávamos é com esta mentalidade de estarmos sempre a dizer mal de Portugal e dos Portugueses, não? Mais nenhum povo do mundo tem uma opinião tão má dos Portugueses como os próprios Portugueses!

JanuskieZ said...

Hi... Looking ways to market your blog? try this: http://bit.ly/instantvisitors

Aprendiz said...

Lamento dizer mas Lisboa tem mais eventos culturais do que em Roma ou Frankfurt. Basta pegar nas publicações do turismo mensais de cada cidade para se perceber porquê. Lisboa é uma das cidades mais vivas da Europa, só por isso ganhou três "óscares" do turismo, um dele a cidade a visitar na Europa.
Tenhamos orgulho naquilo em que somos melhores!

desfocado said...

Gostei do teu post Cláudio. Sou um ESRINer neste momento. Mas fiquei curioso, criaste a tua própria empresa ou estás a trabalhar numa das 3 que trabalham em aeronáutica e espaço em portugal ?