10.5.08

Ana Casimiro, Licenciada em Ciências Farmacêuticas, Irlanda

Terminei o meu curso em 1994 em Coimbra e voltei para o Alentejo, donde sou originária. Estive a trabalhar como Directora Técnica duma Farmácia durante 10 anos em Campo Maior. Nunca me senti reconhecida pelo meu trabalho. Pelo contrário, senti sempre uma espécie de repulsa. Eles quase preferiam que não fosse sequer á farmácia. A minha presença parecia perturba-los e eu, pouco a pouco, fui-me afastando. Considero que nesses 10 anos regredi na minha profissão, em vez de progredir. Não tinha poder de decisão sobre coisa nenhuma, e andei 10 anos a pedir a informatização da farmácia, o que nunca aconteceu!
O meu marido trabalhava na TMN, e estava francamente farto do trabalho. As oportunidades de trabalho no Alentejo sao muito poucas e ele sentia-se preso, sem qualquer hipótese de sair dum emprego que alem de não o satisfazer profissionalmente, economicamente também era mau. Em Agosto de 2005 todos os empregados da empresa tiveram aumento menos 3, entre eles o meu marido. Foi a gota de água e ele começou a procurar na internet trabalho em Espanha, pois vivíamos mesmo na fronteira.
No meio desta pesquisas ele abriu as propostas internacionais e começam a surgir empregos para farmacêuticos todos os dias.
Como a minha situação também não era a melhor, disse-lhe para por o meu CV. Nessa mesma semana começaram os telefonemas de empresas espanholas que se encarregam de procurar farmacêuticos para trabalhar no reino Unido e na Irlanda.
Um deles perguntou-me se estaria interessada na Irlanda, que havia bastante falta de farmacêuticos e que pagavam mais 20000 por ano que no Reino Unido. Respondi que não me importava. No fim de Setembro de 2005 fui a uma entrevista a Barcelona com o dono de 3 farmácias numa pequena cidade no oeste da Irlanda e passado uma semana recebo um telefonema a pedir-me que viesse a Castlebar para ver a cidade, e para decidir se queria mesmo vir. Ele estava um pouco preocupado com o facto de eu "arrastar" comigo o meu marido e 2 filhos,de 4 e 2 anos nessa altura.
Vim no dia 5 de Outubro, achei a cidade pequena e colorida e as pessoas simpáticas, acolhedoras e muito amigáveis.
Despedi-me do meu emprego e no dia 8 de Dezembro estava a trabalhar em Castlebar. Depois de 2 semanas de formação, passei ao cargo de Directora Técnica de 1 das 3 farmácias do grupo. Posso garantir que evolui mais em 2 meses aqui que em 10 anos em Portugal. O meu chefe está satisfeito com o trabalho que faco, sou reconhecida pelo meu trabalho, e estão sempre preocupados com o meu bem-estar e o da minha família.
Os meus filhos, que não falavam uma palavra de inglês, estão na escola, são fluentes, tem amigos. O meu marido trabalha em part-time e ganha o dobro do que ganhava em Portugal!
Considero que a mudança para a Irlanda só pecou por tardia! É claro que nem tudo é fácil, fazem-nos falta muitas coisas de Portugal como o sol, o céu azul, a comida. Mas no geral foi uma escolha acertada. Estou feliz aqui, profissionalmente dei um salto enorme e não tenho planos de voltar para Portugal.

12 comments:

mikatu said...

Espero que com esta historia as pessoas percebam que só devem ter medo de ficar cá. Se não estão bem aqui devem procurar algo melhor noutro lado... a familia, os filhos, o namorado até o cão, não devem ser vistos como um problema mas sim como uma oportunidade para todos... (não abandonar o cão é essencial!).

Há que perceber uma coisa, em Portugal os salários apenas vão aumentar quando se conseguir aumentar a produtividade... ora, como impera a regra de que se caminha à velocidade do mais lento essa produtividade nunca irá aumentar, pelo que só existe uma forma de aumentar o ordenado sem mais nem menos, ir trabalhar para um local onde essa produtividade já esteja a permitir ordenados decentes.
Irlanda, e até Espanha, estavam atrás de Portugal antes de aderirem à CEE... hoje em dia Portugal já está atrás de vários países do leste da Europa... Quem não abandonar o barco irá ao fundo inevitávelmente...

super_fm said...

Como são as perspectivas de trabalho na Irlanda? Em termos de informaticos sei que sao boas, mas eu sou de comunicacao... mas nao descarto a possibilidade de trabalhar mm fora da minha area.

ana casimiro said...

As perspectivas de trabalho na Irlanda sao boas para licenciados porque os irlandeses nao vao para a faculdade. Há sempre falta de medicos, farmaceuticos, engenheiros civis e informaticos, arquitectos. Quanto a comunicacao nao tenho muita nocao mas tente procurar em paginas como www.irishjobs.ie. Lembrem-se sempre de incluir no CV referencias porque eles nao contratam ninguem sem verificar referencias.

Ana

Anonymous said...

Olá Ana!!
Sou farmacêutica e estou indo para irlanda estudar... Pelo que vi o mercado aí é muito bom!! Aq no Brasil, onde trabalho o mercado está começando a crescer agora, mas bem parecido com o que falaste de Portugal!!
Apesar dos irlandeses não gostarem de estudar, os cursos por aí são caros??

Gostei muito do seu blog...

Att
Soraya

Anonymous said...

Desculpe o comentário... não sou bem o perfil do seu "como participar", mas me senti a vontade em perguntar... rs

att

Soraya

Anonymous said...

Olá Ana,

O meu nome é Luis e gostei imenso de ler a tua história.
Sou farmacêutico e gostava de obter mais informações sobre a Irlanda.
O meu mail é: lbt.prof@gmail.com.
Ficaria muito agradecido se me pudesses dar uma ajuda já que pretendo ir para a Irlanda ou Reino Unido a muito curto prazo.
Luis

Anonymous said...

Eu sou médica, estive em Londres alguns meses a trabalhar e via sempre muitos anúncios para a Irlanda a necessitar de médicos, nunca percebi muito bem o que se passava por lá para oferecerem tão boas condições... afinal o que se passa com os Irlandeses? Não querem mesmo estudar, o ensino é pago, há dificuldades? Fiquei curiosa...
Ana Fernandes

Anonymous said...

Eu sou médica, estive em Londres alguns meses a trabalhar e via sempre muitos anúncios para a Irlanda a necessitar de médicos, nunca percebi muito bem o que se passava por lá para oferecerem tão boas condições... afinal o que se passa com os Irlandeses? Não querem mesmo estudar, o ensino é pago, há dificuldades? Fiquei curiosa...
Ana Fernandes

Alice said...

Olá Ana! Assim é que é! És cá das minhas! Estou em Dublin desde Março de 2008!
Um grande abraço, Alice

Anonymous said...

Olá Ana!

Chamo-me Stephanie e sou recém licenciada da FFUP (trabalho há quase 2 anos), e também eu me sinto a "perder as minhas qualidades de farmacêutica". Sinto que não estou a aprender o quanto gostava. Adorava ir para o estrangeiro, para descobrir outra realidade... e consigo imaginar-me a viver na Irlanda... será que me podias dar algumas informações? Adorei o teu post, sinto-o mais ou menos como o meu futuro se me mantiver onde estou...fora a parte da possibilidade de subir na carreira, pelo menos na farmácia onde estou sei que não tenho hipótese.

Aqui está o meu e-mail:

stephgomes@gmail.com

Agradeço desde já qualquer ajuda, espero que esteja tudo bem contigo e com a tua família! ***

Anonymous said...

Olá Ana!

estou na recta final do curso de Ciências Farmacêuticas da FFUP ( se tudo correr bem no próximo mês já tenho carteira profissional ). Gostava de te pedir ajuda, porque eu, tal como muitos outros portugueses, gostava de sair de Portugal e ir trabalhar para o estrangeiro, onde pelo menos o nosso trabalho é reconhecido. Inicialmente pensei num país em que a língua me fosse mais simples, como Espanha, mas depois de tanta coisa que li acho que seria uma óptima opção ir para a Irlanda, sendo que para isso esforço-me para tirar um curso de inglês.
Será que se te deixar o meu e-mail me podes dar as informações que são necessárias e o que fazer?

O meu e-mail é nheiamanuel@hotmail.com.

Beijos, Andreia Rodrigues.

Thales said...

Olá Ana,
estava lendo seu relato sobre farmacêuticos na Irlanda e me encontrei na mesma situação, me sentindo desvalorizado no meio profissional no Brasil. Estou morando na Irlanda a 5 meses e resolvi tentar trabalhar na minha área aqui. Gostaria de algumas informações sobre o que devo fazer ,por onde começar..enfim, se puder me ajudar ficarei muito grato. deixo meu e-mail para contato: thalesgarcias@yahoo.com.br
fico aguardando, obrigado.
Thales Garcia