6.3.08

João Oliveira, Gestor. Da Holanda para Portugal

A minha história é inversa de muitas que li aqui. Acho que é importante para quem parte de Portugal, para economias e sociedades mais saudáveis, deixar para trás os vícios de negativismo e falta de auto estima que adoecem este cantinho. Acredito que devemos partir à procura das oportunidades seja em Portugal, em Londres ou na Dinamarca: há um Mundo inteiro onde encontrar a melhor solução para cada um de nós.

Isso não excluí a Lusitânia.

Eu agora vivo e trabalho em Portugal, mas honestamente, apenas por acaso. Safei-me por aqui, como já me tinha safado antes lá por fora, provavelmente porque regressei com tudo o que por lá aprendi.

Hoje sou gestor numa grande empresa e vivo melhor do que quando vivia na Holanda. Já conheci competentes e patetas e lambebotas de todas as nacionalidades, e cá não há nem mais nem menos do que na Holanda.

Em minha Opinião, o que é preciso é pensar Global sempre que equacionamos um novo passo na Vida. Este Blog está cheio de exemplos de quem o fez com sucesso. Isso não deve implicar ressentimentos por Portugal não ser mais fácil: Também há quem se organizou por cá sem nunca ter emigrado e é um bocadinho limitado acreditar que o sucesso dos outros se deve sempre a cunhas e cunhados.

Conheço quem tenha regressado com histórias bem mais tristes e menos sucedidas que as que aqui são contadas. Injustiças e atraso mental também acontecem noutras realidades.

As histórias neste blog revelam gente com muita fibra, provavelmente mais fibra que muitos patetas que vejo por Lisboa e outros que vocês conhecem por aí. Ao ler estas histórias percebo o valor de quem as escreve, mas encaro-os como pessoas que procuraram as oportunidades e não propriamente como refugiados empurrados para fora daqui. São heróis por mérito próprio, e não vítimas de um país atroz.

Não será um vestígio de salazarismo ter que justificar a ambição de sermos mais, o nosso direito de nos realizarmos, de querermos crescer apontando o dedo ao país ? Nenhum país pode oferecer todas as oportunidades a todos. É normal que as pessoas procurem empregos noutros países. Vai ser cada vez mais comum. Já ninguém mora no mesmo sítio a vida toda. So What ? Há fado na Internet todos os dias.

22 comments:

Fomos said...

Sinceramente nao percebo o sentido deste post.

Que os "gestores" e "empresarios" em Portugal vivem bem, ja' todos sabemos. O que acontece modo geral e' que as pessoas que trabalham para eles nao vivem tao bem.

O Joao Oliveira nem nos conta estoria nenhuma, nem o que fazia, porque foi para a Holanda, porque voltou. Limitou-se a pintar um quadro escuro sobre o que se passa na Europa, e um quadro rosado de Portugal - deve ser um Portugal diferente daquele que conhecemos.

Acho que este post devia ser retirado.

Daniel said...

Caro(a) fomos:Cada um é livre de expressar a sua opinião, podemos é não concordar com ela.Agora censurar...?

Gostei do comentário, um pouco diferente dos habituais, mas que foca essencialmente a busca por algo melhor e que nos realize contrapondo com a fuga por falta de oportunidades. Há ainda os que saem em busca de aventura e pelo desejo de viajar. Sai de Portugal o ano passado, estou em Madrid e daqui a um mês mudo-me para a Holanda mas não sou um negativista(absoluto) em relação a Portugal.

Cumprimentos

Nuno said...

Concordo em grande parte com o que neste post foi (d)escrito. Portugal não é, de todo, um país atrasado e incompetente, sem oportunidades nem sucessos. Se assim fosse, nós, aqueles que encaram o mundo como uma aldeia global, não estaríamos preparados para enfrentar a concorrência de pessoas que vêm de países teoricamente bem mais desenvolvidos. Temos muitos exemplos de sucesso em Portugal e muitos exemplos de pessoas que tanto tiveram sucesso dentro como fora do nosso país.
Acredito que existem oportunidades para todos, desde que se saiba procurar e se procure de facto.
Não quero com isto dizer que a probabilidade de sucesso é a mesma. Depende muito da área de formação e carreira que cada um opte. Por exemplo, na banca de investimento é bem provável que haja mais oportunidades em Londres do que em Portugal. Mas nas energias renováveis já não sei se será bem assim... acima de tudo há que pensar global, os países tendem a especializar-se em certos domínios para assim conseguirem ser competitivos. Cabe a cada um procurar as melhores oportunidades para si mesmo e não se prender à primeira oportunidade que aparece em Portugal (ou noutro sitio qualquer) só porque não aparece mais nada. Porque se se procurar concerteza algo mais aparecerá. Em Portugal, ou no resto do mundo, concordo.

Ludovic said...

Portugal não é o governo, os gestores, os dirigentes, os médias, .. Portugal é vocês. E se hoje esse pais tem tantos defeitos, esses defeitos que são aqui relatados neste blog é por vossa culpa! E se amanha Portugal ira melhor sera do vosso mérito.

Portugal somos nos, e em vez de sempre atirar as culpas para os dirigentes, temos que nos lutar e ter ambição. E muito facil baixar os braços, dizer que o pais não vale nada e que la fora é tudo melhor.

Anonymous said...

Falar é fácil..."ludovic"..luta tu sozinho entao... e verás como é dificil lutar contra a maré

Lanterna said...

concordo com o anonymous, falar é facil. No me caso fartei-me de remar contra a maré, hoje na holanda vejo oa mesmos defeitos que via em algumas pessoas em Portugal, a grande diferênça é que aqui essas de mentalidades mesquinhas são aminoria...

Anonymous said...

" Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e
sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos
de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de
dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de
sacudir as moscas..."

Guerra Junqueiro escrito em 1886

Parece que merecemos esta sina...

Anonymous said...

Cara Maria Luís Neiva,

Gostei do depoimento do João Oliveira, "da sua história inversa".

Este blog tem mérito ao apresentar os casos de sucesso dos jovens portugueses que saíram de Portugal para trabalhar e ao expor o seu percurso, marcado por dificuldades, esperanças e sucessos.
Também costumo ler as histórias do FERVE. Este blog tem ainda mais mérito pois está a trabalhar no sentido de mudar "o País que temos". Enquanto que no GAP respira-se felicidade e sucesso, no FERVE respira-se desilusão e injustiça.

Irrita-me esta ideia, destes dois mundos. Como se não houvesse alternativa. Ficas em Portugal, és explorado! Abandonas Portugal, és recompensado!
Irrita-me também a associação que faço ao ler os depoimentos nos dois blogues. Aos depoimentos do FERVE associo desespero. Aos do GAP, por vezes, associo masturbação.

A alternativa a estes dois mundos, para quem vive e quer viver cá, passa por lutar e trabalhar para que um outro mundo seja possível em Portugal.

Com os melhores cumprimentos,
Anonymous03

Anonymous said...

Um gestor saiu de Portugal?
Mas Portugal nao e' o pais da Europa que melhor paga aos gestores?
Ou tem de ser gestores filiados em partidos???
Bem dizia o meu pai...Torna-te militante do PS ou do PSD (ou ate' dos dois)....
Assim nao precisava de ter emigrado...

Anonymous said...

Ahhhh!!! Mas o que é que isso tem a ver com a conversa?!??
Gostei imenso do post e acho que tem toda a razão.
Vivi 3 anos em Barcelona, depois estive na Holanda e agora estou em Itália ainda à procura de um emprego. E caros, posso-vos garantir que não foi fácil em nenhum lado!!! Portugal não é pêra doce mas acreditem que o mesmo acontece nos outros países. Apesar de ser engenheira, com pós-graduação e mestrado, em Espanha trabalhei em restaurantes e só depois de muito lutar consegui um emprego na minha área mas mal pago. Agora Itália, por incrível que pareça, em várias entrevistas já me disseram que como sou mulher e tenho 31 anos, sabe é um pouco díficil!! Além de que sempre me dizem que com o meu CV o melhor era ir para a NASA porque aqui basta que saibas 3 linguas e já és um ET. E para piorar a questão todos me dizem que aqui, mais do que em outros lados, se não conheces ninguém estás tramado!!! E realmente tudo funciona por conhecimentos, cunhas, politiquices e votos em partidos, e ainda me vêm vocês falar de Portugal!!! Acham normal??

Portugal tem as suas coisas boas e as suas coisas más, como em todos os outros países. Saí do país porque tinha vontade de viver outras experiências e ainda não voltei por razões que vão além do trabalho senão também já tinha voltado. Custa-me muito às vezes ler e ouvir pessoas que falam do nosso país como se fosse uma merda, onde tudo é mau!!! Gostava de ver essas pessoas em outros sítios, sair do país e ver outras realidades!!!
Quem sai, quem entra, fá-lo por razões pessoais e é bom de vez em quando vir a este blog ler as suas histórias, mas realmente actualmente vivemos num mundo tão Global, como diz o João Oliveira, que nada justifica permancer no país, como não justifica sair. É tudo uma questão de oportunidades!!

Anonymous said...

"É normal que as pessoas procurem empregos noutros países."
Pois é.

Mas o que não é "normal" é que não os encontrem neste país.
Basta ver os números de desemprego em licenciados, por exemplo (e são uma amostra da realidade, não toda a realidade).
Se antes a emigração era de pessoal nao qualificado, hoje são também os graduados a partir.
Investimento publico em formação (incluindo superior) quando os seus resultados passam para fora e não encontram oportunidade cá... faz sentido? Quer-me parecer que é de uma total falta de visão estratégica, de um total desinteresse pela economia nacional (permanentemente "adiada", condenada)

Excelente ideia esta do GAP:
falar do assunto e passar testemunhos tem todo o interesse!

André said...

Uma coisa é certa quem diz tamanho absurdo...como estes comentários que aqui tenho visto... mostra tamanha ignorância de quem ainda não sentiu na pele... Além que quem não é formado nem aqui devia meter o bedelho... o blog tem uma determinada intenção... não venham para aqui falar do que não sabem.. respeitem quem apostou em formação superior e tenta desenvolver carreira...seja onde for..ok?!

Anonymous said...

E QUEM NÃO TEM FORMAÇÃO SUPERIOR NÃO TEM DIREITO A OPINIÃO?
ANDRÉ PARECE-ME UM POUCO INFELIZ ESTE TEU POST!
MR

Alex Figueira said...

O post do Joao é muito positivo e se de alguma coisa precisa Portugal é disso mesmo. Ora, também acredito em que existe uma linha muito ténue entre o positivismo e a ingenuidade. E este post nao corresponde ah realidade das pessoas que teem capacidade e procuram as oportunidades em Portugal, sem esperar que a mal chamada "sorte" termine por decidir se estas hao de aparecer ou nao. Ultrapassa essa tenue linha e é ingénuo. Oportunidades, mentalidades retrogadas, exploraçao, injustiça, cunhas e tachos existem em toda a vasta extensao territorial deste planeta, nao sao nenhuma invençao Lusa. Mas o que é certo é que Portugal é uma terra onde se abriu um crater larguíssimo entre uma geraçao capaz, cheia de energia e vontade (leia-se A NOSSA) e a velha geraçao ressacada do pos 25 de Abril, onde 2% da populaçao ingressava na faculdade e o chico-espertismo traçava a linha entre os exploradores e os explorados. Isso, Joao, é coisa que nem o mais positivo dos olhares poderá alguma vez ocultar.

André said...

Claro que não tem curso superior tem opinião... Mas deve vir para aqui mandar bocas quem não se identifica nem tem o perfil, do qual o blogue tenta reunir histórias...? Deve alguém que nunca sofreu na pele vir para aqui mandar bocas foleiras? é que de certeza que quem veio mandar essas bocas foleiras não investiu em formação superior e correu Portugal de les a les a e entregar currículos, e fazer estágios... e de repente vê a 2 horas daqui emprego, carreira, progressão e futuro... se sentisse isso na pele..não falaria assim...

Que me importa quem tem formação superior ou não... mas quem fale... que saiba o que é viver isto na pele...

Anonymous said...

Muito pode ser comentado sobre este post, mas uma coisa é certa, Portugal não é negro, mas é cinzento.
É cinzento porque apesar de ser possivel remar contra a maré isso é quase impossivel, porque no fundo as pessoas queixam-se mas nada fazem para mudar.
Basta ir dois dias para um qql país lá fora e percebe-se que as coisas estão feitas para servir todos, as ruas, os transportes, os serviços... infelizmente por cá o povo serve, e sempre servirá, para ser usado e abusado.
É o meu país e claro que o adoro mas há que tentar ver as coisas de fora e perceber se há futuro por cá, e a resposta é obvia, claro que não... o país apenas avança numa direcção... para baixo.
TM

Rita Burnay said...

Nao me venham dizer que ninguém faz nada para mudar as mentalidades. Eu mudei a minha vida toda, saí do meu país e fui à luta e como eu este blog conta milhares de histórias semelhantes. Cada pessoa que tomou as rédeas da sua vida e nao se resignou está a fazer muito nao só por si mas pelo país. Quando saímos de Portugal vamos conhecer outras culturas mas damos a conhecer a nossa e mostramos que os Portugueses sao de valor em qualquer parte e em qualquer situaçao!
Mas nao se esqueçam que a maioria dos que saímos foi porque fomos forçados a isso e provavelmente preferíamos ter ficado em Portugal.
That's the point!

Alexandra Costa said...

Eu sou a imagem do que disse a Rita vou sair porque sou obrigada a isso! A opcção que tenho se fico em Portugal é trabalho temporário e desistir da minha profissão.
Quanto ao post do joão são opiniões que nem vou comentar...

tatoia said...

João, Portugal é um excelente país para visitar a familia, os amigos e apreciar o Sol ;)

De resto, não nos apoia em nada! Nada! Nada! Claro que podemos lutar que nem loucos... mas para quê? Para quê lutar que nem loucos quando somos realmente valorizados noutro lado?

O país não nos agradece quando lutamos por ele, pelo contrário, inventa mais restrições e regras e contas e taxas...

Mas sim, acredito que nem todos se dêem mal... mas olha que às vezes até as pessoas em lugares de topo têm supresas... ;)

É o país que temos... mas gostei de ler a tua opinião. É bom ter ler outras visões, por muito diferentes que sejam da nossa realidade e luta pessoal... pena que, afinal.. não tenhas escrito historia nenhuma sobre a tua vida... certo?

lol

Vanessa, Dublin.

Anonymous said...

De facto este post não faz sentido nenhum face ao contexto deste excelente Blog. Começando pelo titulo: "Da Holanda para Portugal". Ora como pode ser "Da Holanda" se já lá não se encontra. Se está a trabalhar em Portugal? Está na Holanda de férias? Isso não conta!

O caro João Oliveira não nos testemunha rigorosamente nada da sua experiência profissional, nem tão pouco das suas vivências em cada país onde já trabalhou. O que me parece é que possivelmente tenha precisamente encontrado uma das "cunhas" que o próprio referenciou numa posição interessante cá nos portugais. Está feliz? Óptimo! Mas não pense que a sua sorte está ao alcance de todos. O país está mal e não se recomenda. Dúvida? Leia os números oficiais!

Positivismo sim, irrealismo e fé incondicional, não obrigado!

hugo m. said...

curioso que toda a gente se queixa da mentalidade "mesquinha" dos portugueses como razão para sair do país e no entanto face ao primeiro caso de sucesso em portugal a inveja e o ressentimento saltam logo à flor da pele.
Como alguém dizia em cima "portugal somos todos nós" então começa por cada um lutar cada vez mais pela igualdade de tratamento e oportunidades, pela tolerância e respeito de todos enquanto seres humanos que no fundo têm os mesmos sonhos e necessidades. Essa é que é a nossa sociedade ideal, com mais ou menos euros. Um bem haja a todos e sucesso.
hugo faustino

Nuno said...

Concordo plenamente com o João, é preciso pensar globalmente.

Cumprimentos,

Nuno Dias