20.11.07

P. J., Senior Software Engineer, Dublin. Irlanda

Bem, o que motivou a sair de Portugal nao foi tanto o ter uma nova experiencia ou sequer o facto de nao ter trabalho.
Apesar de ter trabalhado 8 anos numa cidade que se consiguiu tornar uma nulidade em todas as areas (o Porto), gracas aos brilhantes politicos que populam as nossas esferas de poder, nunca cheguei a estar desempregado.
No entanto a situacao de emprego no Porto e' precaria (85 % dos trabalhos sao precarios, segundo o JN) e como ha pouquissimas oportunidades uma pessoa ja esta' um pouco com aquela ideia de ter de se sujeitar a todo o tipo de coisas. E claro os patroes sabendo que a situacao esta' ma' brandem o chicote o mais que podem. Mas que quer dizer precario ao certo?
Eu vou relatar a minha experiencia de trabalho no Porto e depressa vao perceber porque troquei o ex-motor economico de Portugal por Dublin. Sim! Ex! Porque so algumas regioes da Grecia estao atras do norte de Portugal, neste momento! La' vou eu ter de bater no ceguinho sem referir nomes. "Mas voces sabem de quem e' que eu estou a falar..."
1999 a 2002:
Acabadinho de sair da FEUP ingressei numa companhia de multimedia do Porto. Naqueles tempos aureos antes do "dot-com crash" essa companhia apresentava-se como uma empresa que tinha contratos com o U.S. Army e o U.S. Navy. Durante os 2 primeiros anos assisti a um rapido crescimento em numero de colaboradores que na realidade foi motivado por uma operacao de marketing. O que e' certo e' q a mesma foi vendida em 2001 para um dos maiores grupos economicos portugueses, aproveitando a publicidade dos celebres contratos com os EUA e o facto de ter crescido bastante em numero de colaboradores. Qual nao foi a surpresa do grupo quando apos uma auditoria descobriram que a suposta lucrativa empresa tinha acumulado imensos prejuizos. Ou seja a empresa tinha sido engrossada para ser vendida por bom dinheiro. E eles enfiaram o barrete. A partir desse momento assistiu-se a uma verdadeira caça 'as bruxas com o intuito de arranjar todos os motivos possiveis e imaginarios para despedir colaboradores. Em meados de 2002 cançado do ambiente, sai para trabalhar como subcontratado numa multinacional alema na zona industrial de V. Conde.
2002 a 2006:
Estar subcontratado numa outra empresa e' uma situacao complicada, pois esta'-se dependente de duas empresas (“Ja' de uma!... Sabe Deus!”) e um tipo e’ olhado de lado pelos “internos”. Mas as coisas no inicio ate' pareciam estar a correr bem apesar das horas que trabalhavamos a mais. Ate' que passado 2 anos se descobriu que a nossa empresa de outsourcing tinha uma situacao financeira nao muito famosa. Nessa altura a empresa multinacional alema (o segundo maior investidor estrangeiro em Portugal) tentou forcar-nos a rescindir com essa empresa de outsourcing e assinar no mesmo instante por outra. Claro que os colaboradores sairiam lesados dessa situacao pois perdiriamos os anos de antiguidade. Depois de muitas indefinicoes e indecisoes e apos alguns colaboradores terem chegado mesmo a rescindir por carta registada, tudo ficou em aguas de bacalhau. E os mesmos colaboradores que tinham rescindido tiveram de dar o dito pelo nao dito, o que diga-se e' uma situacao no minimo hilariante. Provavelmente a empresa de outsourcing aumentou a comissao ao responsavel do departamento da multinacional e “tudo ficou em familia e na paz do Senhor”. Por vezes os salarios eram pagos com algum atraso, ja' para nao falar nas despesas, e os colaboradores manifestaram o seu desagrado com a situacao. Passado um ano a granada estourou: a multinacional recebe uma carta registada do fisco indicando que a empresa de subcontratacao tinha acumulado uma consideravel divida fiscal pelo que futuros pagamentos a' mesma estavam confiscados pelo estado.Conseguem adivinhar quem se lixou no meio disto tudo??? Exactamente!!! O mexilhao!!!
Estavamos em Setembro de 2005 e chegados a Outubro dado que nao recebemos o salario fomos forçados a assinar por outra empresa de subcontrataçao. Eu ainda rescindi por justa causa alegando falta de pagamento, o que pelos vistos nao me serviu de nada pois o sistema de justiça portugues esta' feito de modo a premiar as fraudes e os esquemas. ”Ou sera’ que nem sequer existe? Nao sei deve andar algures entre o inexistente e o inutil”. Alem de termos ficado a berrar o dinheiro ainda servimos como arma de arremeço internamente para as guerrinhas politicas internas (comuns em Portugal, diga-se) de modo a que algumas pessoas tirassem partido da situaçao em benificio proprio. Portanto estive 6 meses noutra empresa de outsourcing a trabalhar para o mesmo sitio a' espera de encontrar alguma oportunidade no Porto. Mas assim que finalmente apareceu algo, bati com a porta sem hesitar.
2006 a 2007:
Depois de ter tido uma ma' experiencia numa multinacional resolvi aceitar um desafio aliciante, numa empresa que estava a comecar e numa area de vanguarda. Logo na primeira semana a pessoa que me tinha feito a avaliacao tecnica para que eu fosse contratado, bateu com a porta. Apesar desse primeiro mau sinal, no inicio as coisas ate' pareciam bem encaminhadas. Aproveitando a operacao de marketing do governo (o "choque tecnologico") a empresa teve bastante publicidade aquando da visita de S. Exc. o Presidente ao Rei de Espanha, pois o mesmo ofereceu um sistema de navegacao GPS para mostar que Portugal aposta na tecnologia e inovacao. Seis meses passaram e nao tive nenhuma critica durante o meu periodo experimental. Apos isso atribuiram-me uma tarefa em que eu manifestei claramente que nao tinha experiencia nenhuma e que nao me podia comprometer em prazos com o desconhecido. Claro que me esqueci que em Portugalas coisas sao impostas e nunca debatidas. No inicio deste ano os colaboradores que tinham iniciado o projecto junto com o outro elemento que se tinha demitido, bateram tambem com a porta. E sendo assim so' ficou o meu chefe, um colaborador que ele tinha contratado pois ja trabalhava ha muitos anos com ele e os estagiarios. E sendo assim ouve uma limpeza de balneario e fui "convidado" a sair. Talvez estivessem a' espera q aparecesse com uma soluçao miraculosa numa area que nao tinha experiencia ou entao trabalhasse em regime de "preto". Pois muitas vezes ouvi a frase "De dia e de noite! Depressa e bem!". E entretanto soube que colegas meus nao tinham recebido os “prometidos” premios de produtividade.
2007 ate Maio:
Ja farto deste pais e ja a pensar em sair o quanto antes, resolvi antes de tomar essa drastica decisao; tentar uma ultima, derradeira e definitiva vez na mais famosa software house de Portugal. Famosa porque tem contratos com a NASA e a agencia espacial europeia. No entanto sabia de antemao que mais uma vez ia trabalhar como subcontratado para a mesma multinacional de ha um ano atras. Mas pensava eu que uma vez la dentro depois poderia vir a trabalhar noutros projectos. Puro engano. Primeiro vi que toda a gente que estava nos escritorios do Porto trabalhava para a dita multinacional. Segundo tinhamos de trabalhar em regime de escravatura para conseguir cumprir os prazos que certas mentes iluminadas que nada percebiam do sistema, tinham definido. So' por exemplo no meu primeiro mes de trabalho trabalhei 241 h. Ou seja trabalhei os 31 dias do mes...ou se preferirem trabalhei 12 horas por dia (excluindo fins de semana). Fazendo as contas penso que ganharia mais a' hora, nas obras ("E anda um gajo a tirar um curso superior para que?"). Alem do mais, quando ficavamos ate' mais tarde, nem tinhamos direito a jantar (pratica que era comum ha alguns anos atras) e ate' cheguei a ouvir mais uma famosa frase quando alguem perguntou pelos custos dos jantares: "Ah!... Isto e' um jantar de amigos. Nao e' pago pela empresa!". E quando tinhamos de ir de proposito ao fim de semana ao escritorio, trabalhavamos de borla e ainda pagavamos as refeicoes e a gasolina. Eu sei que para compensar a cambada de inuteis que ha em Lisboa, alguem tem de trabalhar por dois! Mas tudo tem limites! Ha' 30 anos quando o meu pai trabalhava tambem era forçado a trabalhar horas a mais e sem receber por isso (parece que ja' e' tradiçao no Norte). Mas pelo menos pagavam-lhe o jantar e o taxi para casa. 30 anos depois parece que estamos pior que nessa altura. E como os tribunais nunca mais se pronunciam sobre o dinheiro que a ex-ex-ex-ex-empresa me deve, desisti de esperar e pensei: "Sei falar bem ingles, logo nao tenho que aturar esta M....". E se pensei mais depressa o fiz... Em menos de um mes tinha 3 ofertas concretas para Dublin e outra para a Holanda. Pagaram-me as viagens e a estadia so' para vir a entrevistas cara-a-cara, depois de ter passado nas entrevistas por telefone (so' nisto ja' se ve a diferença de tratamento). Sendo assim demiti-me imediatamente e contactei os RH para que me informassem qual era o tempo legal de pre-aviso. Qual nao foi o meu espanto quando me disseram "Contratos a prazo sao para ser cumpridos ate' ao fim e nao podem ser rescindidos. Mas a gente abre mao disso, pois nao queremos que as pessoas estejam contrariadas connosco. Temos e' de salvaguardar a passagem de conhecimento". Depois de me atirarem areia para os olhos eu fiquei pensativo ao telefone, do tipo: "ABREM A MAO DE QUE? Ja ouvi muitas bacoradas dos RH, mas esta bate tudo"..."Mando este gajo 'aquela parte, bato com a porta e nunca mais me poe a vista em cima?". Mas depois lembrei-me dos meus colegas e pensei que era injusto para com eles pois eles nao tinham culpa. Mas eu farto de ter problemas laborais em portugal e virem-me com lenga-lengas destas, ainda por cima estando eu num sindicato e ter uma ideia de quais as leis de trabalho. Com este tipo de atitudes, ainda mais me convenci que estava a tomar a decisao certa, pois ate' para um tipo se ir embora conseguem fazer filmes.... E como nao tenho cunhas nao perco nada em sair de Portugal, pois nao estou a usufruir do sistema de compadrio, tambem conhecido por corporativismo.
2007 desde Junho (Dublin):
Pode-se dizer que em 6 meses em Dublin, consegui o que nao consegui em 8 anos em Portugal: ficar efectivo numa empresa. Da’ para notar a diferenca?
Nao ha nada como sitios organizados! Para ja nao se tem de estar a trabalhar para o boneco como acontece em Portugal por falta de planeamento. Quantas e quantas vezes em Portugal muito do trabalho e' deitado ao lixo porque as coisas sao mal especificadas ou nem o sao sequer. Ja nao me lembro de ter uma vida tao santa desde que deixei a faculdade.
Depois as coisas nao sao impostas como em Portugal. As chefias tentar perceber as areas em que uma pessoa tem experiencia e atribuir os projectos onde essas valencias podem ser uteis. Em Portugal e' do genero: "Precisamos de um macaco para fazer isto...pim pam pum cada bala mata um...Voce e’ o elo mais fraco!".
Depois os salarios sao muito melhores que em Portugal e so se trabalha 37,5 horas semanais.
Quanto a frases feitas como o "CHOQUE TECNOLOGICO" em Dublin percebi o seu verdadeiro significado!
Choque tecnologico e' na Irlanda os salarios serem quase 3x superiores e pagar menos impostos que em Portugal.
Alem disso, aqui ha’ carreira na area de IT e e’ comum ver-se pessoas com mais de 40 anos a trabalhar em IT. Coisa inexistente em Portugal, onde ate' e' desprestigiante trabalhar em informatica. De facto em Portugal, a partir dos 35 anos torna-se muito complicado arranjar uma colocaçao em IT, isto porque os patroes preferem ter 10 ou 20 estagiarios pois e’ o governo que lhes paga os salarios, em vez de ter uma equipa experiente de 3 ou 4 pessoas. Portanto, com essas perspectivas de futuro so’ se pode tomar uma atitude: "MUNDO!!!! Antes que seja tarde".
Aqui ha' expecializaçao: SW Architects, Requirement Analysts, Release Engineers, QA Engineers, SW engineers, Team Leaders. Em Portugal um gajo e' pau para todo o servico e tudo e' feito em cima do joelho, a fazer figas e com o credo na boca. E o planeamento consiste em empurrar o trabalho a fazer pela cadeia alimentar abaixo, ate' chegar ao preto que vai ter de fazer tudo do zero. Mas que espera um gajo quando as chefias sao preenchidas pelo circulo de compadres dos “tubaralhos”?.
Aqui ha’ inumeras ofertas de trabalho que sao publicadas ate’ nos jornais. Ao passo que no Porto nem sequer se ve um anuncio nos jornais. Funciona tudo de “boca em boca, como no recrutamento para a Mafia”.
E ca' continuo eu a' espera que o tribunal portugues resolva alguma coisa em relacao ao dinheiro que me devem e que nao me pagam, passados dois anos, e pelos vistos tao cedo nada sera' resolvido. Se estivesse 'a espera que se resolvesse alguma coisa, antes de fugir de Portugal, provavelmente so' viria quando precisasse de bengala ou de arrastadeira.
Se quizerem saber mais sobre isto:
http://add.urbandictionary.com/verify.php?code=949487b8b1
Coisas boas de Portugal:
Sim nem tudo e' mau! Sempre ouvi os emigrantes dizerem que "Portugal e' bom e' para passar ferias!". Agora percebo o que querem dizer com isso. Mas ha outro cenario em que Portugal nao so' e' bom como talvez seja ate' o melhor pais da Europa. Alias Emilio Giovini (um famoso mafioso que esteve preso em Portugal), disse ha muito tempo atras que Portugal era o melhor pais da Europa para se viver, desde que se seja rico. E nao e' que ele tem razao? Nao ha nada como ouvir a voz da experiencia! Bom clima, a melhor comida do mundo, montes de lambe-botas e um sistema corrupto facilmente subornavel. "... Mas como nao tenho pais ricos, nem ganhei a lotaria..." (la' diz o anuncio).
Com as horas de trabalho a que um tipo e' sujeito nesta escravocracia conclui-se que so' e' mesmo bom para passar ferias. Paises elitistas nao sao bons para se viver, a nao ser para menos de 5% da populacao.
Eu a brincar muitas vezes dizia que Portugal e' o Brasil da europa (ate' ja' temos uma boa seleccao).
Mas um ex-colega meu do Brasil calou-me com esta frase "Nem no terceiro mundo se trabalha de borla".
E eu fiquei sem resposta.
Como tenho a sorte de estar a trabalhar num ambiente multi-nacional com pessoas de varias culturas, ainda consegui tirar mais uma triste conclusao.
Na area de IT e' facil arranjar trabalho em qualquer cidade europeia, menos no Porto. E' este o efeito pretendido do "choque tecnologico"?
Bem pelo menos a parte do "choque" esta' conseguida.
Ja' me disseram que tinha tirado o curso errado.... Sinceramente acho que tirei o curso certo, mas no pais errado!
Pois a area de IT e' das que mais riqueza cria no mundo (pelo menos no primeiro mundo).
Portanto tirem um curso superior, pesquisem na internet paises que tenham falta de pessoas qualificadas na vossa area e nem olhem para tras! Nunca foi tao facil emigrar, sobretudo agora que nao ha fronteiras dentro da UE e nao e’ preciso vistos nem grande burocracia e ainda por cima ha’ “lowcosts” em que os voos ficam ao mesmo preco de uma viagem de carro Porto-Lisboa.
Desde que nao vao parar a' Polonia ou a' Romenia, irao sempre para um pais melhor.
E mesmo estes paises, daqui a uns anos, provavelmente ja' terao passado Portugal, quem sabe?
Pois, a julgar pelas declaracoes do Min da Economia, aquando da visita a' China quando realcou que Portugal tambem era um pais de salarios baixos, parece que a estrategia brilhante do governo vai passar por esperar que todos os paises da Europa leste passem Portugal, para depois voltar a acenar a's mesmas empresas que ainda ha' pouco tempo sairam de Portugal, com os famosos salarios baixos. E ai virao eles outra vez, para explorar mao de obra barata!
Em resumo, na minha vida professional tomei duas decisoes certas:
1-inscrever-me num sindicato, por causa dos problemas laborais a que um tipo esta’ sujeito em Portugal e que se tornaram o pao nosso de cada dia
2-fugir de Portugal A.K.A. emigrar

33 comments:

Anonymous said...

Este homem é do NORTE... apesar de ser Liboeta... ;-)

Esta é a situação que acontece em portugal... Em lisboa a situação é muito melhor visto que há mais trabalho (quem não está satisfeito MUDA facilmente). Quem tiver naquela de um dia vir trabalhar em lisboa (o passo antes do estrangeiro) envie e tenha alguma experiencia em IT mande-me um email para skullie22@hotmail.com. Ajudo porque compreendo e já passei pela mesma triste realidade.

Abraço

Anonymous said...

Este homem é do NORTE... apesar de ser Liboeta... ;-)

Esta é a situação que acontece em portugal... Em lisboa a situação é muito melhor visto que há mais trabalho (quem não está satisfeito MUDA facilmente). Quem tiver naquela de um dia vir trabalhar em lisboa (o passo antes do estrangeiro) envie e tenha alguma experiencia em IT mande-me um email para skullie22@hotmail.com. Ajudo porque compreendo e já passei pela mesma triste realidade.

Abraço

Anonymous said...

Até parece que estava a ler algo que se tinha passado comigo (ex-co-worker) até ao momento em que decidiste emigrar, aí está o passo que ainda não fiz por falta de coragem. Isto vai continuar tudo na mesma cá por PT... não se avizinham melhores tempos.
As pessoas acomodam-se na sua vidinha triste, fútil,
sem iniciativa. Medo de mudar, para quê? Se tás no fundo, não podes descer mais, o único caminho é subir..

Conselhos: não comprem casa, não se endividem, não contribuam para a "mama" dos ricos e políticos... e partam para novos desafios enquanto é tempo!!

Fiquem bem

Anonymous said...

LOL, concordo com alguns pontos dicordo de outros, mas penso que poderias trabalhar mais o teu poder de sintese...
Alias, podias retratar os aspectos socio-economicos da ROI. Ja foste aos Hospitais? Quanto pagaste? Colocas o lixo na rua? Quanto Pagas? Tens TV? Quanto Pagas...... Ahhhh pois 'e o Mundo nao 'e a preto e branco como o retratas.....Em Dublin..."Dura lex sed lex"

Anonymous said...

Só tenho uma palavra para descrever este texto com o qual concordo totalmente: BRILHANTE!
Já agora... ontem no noticiário vi que há 65 mil licenciados desempregados em Portugal.... é preciso dizer mais alguma coisa?
Mister R.

Li said...

Hospitais: não se paga rigorosamente nada, nem "taxa moderadora", se fizeres parte da UE;
Lixo: muita das vezes, está incluído no preço da renda;
TV: €188/ano (salvo erro)

E ganha-se 3 vezes mais do que em Portugal...

p.j. said...

Eu com o meu post so' fiz o "pepsi challenge" entre trabalhar em Dublin e no Porto. Quanto ao resto so' pago luz alem da renda (mais barata quem em Portugal diga-se). Tenho seguro de saude pago pela empresa (tratamento hospitalar incluido). Eu nao estou a dizer q viver em Dublin e' perfeito, mas que se tem uma vidinha santa... la´isso tem. Alem disso faz-me lembrar o Minho/Galiza. E quem sentir falta do Sol ha muitos paises por essa Europa fora ... Mas nem toda a gente adora ficar ao sol tipo lagarto nos dias de Verão. Até acho que quem passa os dias de Verão assim denota falta de imaginação. Há coisas bem mais interessantes para fazer.

Anonymous said...

Boas noites ... eu sabia que o P.J nao ia ficar por menos! Nao tem poder de sintese, mas o rapaz ... É DO NORTE CARAGO!
Eu tive a sorte de trabalhar com ele na famosa empresa multimedia no Porto que foi vendida ao tal grande grupo portugues! Ao principio, aquilo até era divertido ... "precisamos de enviar alguém a Miami para terminar uma aplicaçao para a US NAVY" ... bora lá, vamos la de ferias com tudo pago! Ou quase!
O que é certo é que demasiadas promessas contratuais ficaram por cumprir e decidi abandonar o Porto por Braga (falava-se na altura que seria a Silicon Valley portuguesa, hoje, sinceramente, não sei como estará a cidade!)
Vem o 11-S, as dot.com vão desaparecendo e Lisboa, unica opção para encontrar emprego, não esta assim tao bem ... estavamos no ano 2000!
Decidi dar o salto... mas bem mais pequeno que o nosso pequeno "gafanhoto"! Eu vim para Madrid.
Apesar de ser uma cidade cara, a diferença nos ordenados compensa bastante! Não pago hospitais, lixo nem televisão, que não vejo! E tal como comenta o P.J. aqui há emprego com fartura, para todos os gostos!

P.J., se me aborrecer da cerveja e da comida por Espanha, vou-te visitar a Dublin ... nem que seja um fim de semana, com alguma "lowcost" :-)
Um abraço, fica bem!
R.S.

Anonymous said...

Caros, tenho pena em dizer mas a maior parte de voces nao esta a ser sincero. Estou a mais de 2 anos em Dublin e existem vantagens mas tambem desvantagens: salarios 3 vezes mais..LOL, digam la qual a taxa de impostos da segunda banda (41%). Medico de Familia (GP) minimo 65€, Especialistas nos Hospitais: 140€ (comparticipacao dos seguros, para quem tem por volta de 60€)....Meus carissimos, contra evidencias nao h'a argumentos, DUBLIN 'e das cidades da Europa com o custo de vida mais caro. Tenho pena em dizer, mas estao a ser Portugueses Tipicos, ou seja gostam de falar so mal do que 'e Portugal...talvez por isso estamos onde estamos....

p.j. said...

Bem pelos vistos havia de nao ter sido tão sucinto, pois nao fui explicito o suficiente. Eu pago menos impostos aqui que em Portugal em % e trabalho menos horas e isso faz com que o meu salario liquido a hora seja o triplo (ate' pq trabalhava bem mais q as oficiosas 40 h semanais...ooops isto e' ilegal, certo?)
Mas vamos considerar o caso do salario minimo usando o tax calculator para a IE:
http://www.hookhead.com/Tools/tax2007.jsp

I-Salario Minimo
1.1-PT (403 E mensais)
14x403 = 5642 E brutos anuais
pagando 11% seg social + 0% IRS
liquido anual = 5021,4 E
1.2-IE (9 E/h)
12x22x7.5x9 = 17820 E brutos anuais
liquido anual = 17327.36 E

Realmente ate' resulta mais do que o triplo no entanto ha subsidio de alimentacao ao barulho em Portugal pago a 11 meses... Mas nao e´obrigatorio por lei... Nem ha valor minimo definido para ele! E note-se que isto trabalhando apenas 37,5 h semanais.

II-Salario Medio
http://resistir.info/portugal/portugal_produtividade_salarios.html

1.1-PT (12.425 E anuais)
pagando 11 % + 7,5 %
liquido anual = 10.126 E
liquido a hora = 4,8 E

1.2-IE (25.079 E anuais)
liquido anual = 22.342,6 E
liquido a hora = 12,9 E

Quanto aos impostos: tens uma parte do ordenado isenta de impostos (tax credits, no max 5000 E, normal 3520 E), outra parte pagas 20 % e o excesso acima do standard rate cut off point e' tributado a 41 %. Mas so´o excesso e isso varia se és casado ou nao. Se estivesse casado ganhava mais 5500 E por ano, limpos.

Quanto a saude...toda a gente q pode em Portugal vai a medicos privados especialistas e pagas muitas vezes 100 E por 10 mins de consulta e e´a custa dos seguros de saude q um gajo se vai safando. Porque achas mesmo que o nosso suposto servico "gratuito" de saude funciona? Sei q o da irlanda n e' famoso, mas fazer do Portugues um exemplo e' hilariante. Se tivesses a falar da suica, ou da escandinavia...ainda percebia a comparacao....

E ja q estamos a falar mal de Portugal:
-Qual o pais na UE a 15 com o fosso mais elevado entre os 20% mais ricos e os 20 % mais pobres?
Se calhar é por isso que estamos onde estamos!!!!!!

Nao estou a dizer q se fica rico aqui na Irlanda. Alias ninguem enriquece a trabalhar para os outros. Mas ao menos da' para juntar $$$ mesmo trabalhando para outrem e comprar uma casa de ferias em Portugal, sem ter de ser xulado por bancos. Porque neste momento em Portugal ha muita gente que esta a devolver a casa aos bancos pois nao as pode pagar.

sonia said...

gostei e ja sabia que era assim. em portugal o trabalho e muito precario e a mentalidade continua a ser 'da-te de contente se tiveres um emprego'. as minhas razoes de vinda para a holanda foram pessoais, mas a certeza e so uma, voltar tao cedo nao. e sempre que me perguntam porque e que troquei portugal pela holanda, respondo o que dizes: a holanda e um optimo pais para trabalhar e viver e portugal para as ferias, parece-me um perfeito balanco!

fica bem

sonia said...

gostei e ja sabia que era assim. em portugal o trabalho e muito precario e a mentalidade continua a ser 'da-te de contente se tiveres um emprego'. as minhas razoes de vinda para a holanda foram pessoais, mas a certeza e so uma, voltar tao cedo nao. e sempre que me perguntam porque e que troquei portugal pela holanda, respondo o que dizes: a holanda e um optimo pais para trabalhar e viver e portugal para as ferias, parece-me um perfeito balanco!

fica bem

Anonymous said...

Tenho pena em dizer, mas estao a ser Portugueses Tipicos, ou seja gostam de falar so mal do que 'e Portugal...talvez por isso estamos onde estamos....

Anonymous said...

Português é Macaco! Por isso não quero tar aqui quando TODOS perceberem que isto só vai lá à Lei da Selva. Aí vai até cabeças vão rolar (e até com horários planeados)... Exactamente não comprem casas nem carros nem se endividem aleijem-lhes onde dói porque a nós é que já nos conseguem magoar mais. Ah alguém pode dizer como é a cena da arquitectura na Irlanda? correiodaratazana@gmail.com 'brigadão...

GAP said...

sim, sem duvida, a culpa e' nossa em o pais estar como esta... o sexto mais pobre da UE, fantástico. por pormos o dedo na ferida ou por termos emigrado?

p.j. said...

Quanto "ao falar mal de portugal é tipico do Portugues".... Eu oiço os meus colegas espanhois a queixarem-se da Espanha... Os meus colegas italianos a falar mal de Italia e por isso vieram para aqui... Quando muito é tipico dos latinos...
Mesmo assim aqui em Dublin estão-se sempre a queixar que o preço do alcool é um rip-off (lol, nao fossem irlandeses). De facto uma garrafa de vodka nos supermercados e´mais cara que em londres. Mas nos PUBs até nem e´muito mau: em londres e na escandinavia é mais caro! Mas a taxa minima de IVA é 0% e muitas das cenas nos supermercados estao isentas de imposto. Ja vi alguns taloes do Lidl que no fim dizem VAT paid: 0.00. Mas claro aqui e em todo o lado fala-se mal sempre de algo.

Portanto toda a gente se queixa do que se tiver para queixar e nao me venham com tangas que isso é ser portugues tipico pois a expressao "GRASS IS ALWAYS GREENER ON THE OTHER SIDE" nao é portuguesa! (Mas temos uma semelhante)

Anonymous said...

Em relacao ao preco do alcool na Irlanda o problema nao esta no IVA, mas nos elevados impostos alfandegarios de importacao. Em relacao aos excelentes salarios deixo apenas um conselho: se ganham em Portugal por volta de 1500-2000€/mes, Irlanda nao vale a pena, se ganharem menos entao possivelmente a Irlanda podera ser uma boa opcao. No entanto, os Tigres Celtas estao a mostrar que estao cada vez mais moribundos, ja que a crise imobiliaria no USA esta a fazer as suas consequencias na ROI.
Outro conselho,'e que facam carreira em PT e depois emigrem, pois estes Paises podem pagar bem, mas nao estao para formar "On job" meninos saidos da universidade...
Fiquem bem, ai dentro ou ca fora:-)

p.j. said...

Sim,

Parece que finalmente concordamos nalguma coisa. Eu so' vim para aqui depois de me ter dado conta que nos ultimos anos o meu salario foi essencialmente o mesmo (e ainda houve um ano que fiquei a berrar um mes e um subs de Natal) e o custo de vida sempre a subir. No entanto ate' ganhava bem para o standard do Porto, mas usando as palavras de um colega meu que veio para aqui antes de mim ha tres anos atras: "o dinheiro nao e' tudo. Vais ficar acabadinho em Portugal em pouco tempo". E ja' ha' 3 anos ele me andava a fazer a cabeca a dizer que eu estava a perder o meu tempo no Porto... Ele e' mais velho e ja' tinha mais 'tarimba' do que e' trabalhar no Porto... Eu ainda tinha aquela ideia "Pa...se tenho de emigrar, entao para q raio andei a tirar um curso superior?"... Mas selemelhantes filmes aos dele aconteceram a mim e agora dou-lhe completa e total razao e se soubesse o que sei hoje tinha vindo nessa altura... Mas cada caso e' um caso.
O luxemburgo e' de longe o pais mais rico da UE...20 % da populacao e' portuguesa... tambem parece boa opcao... ate' melhor que a Hireland (lol)....
Na suica tambem ha muitos portugueses e ate se ganha mais do que aqui.
Provavelmente a integracao e' mais facil.

E' a maravilha da UE...poe toda a gente a mexer:
- Os finlandeses vao a Estonia abastecer-se de alcool
- Os Ingleses vao a Franca
- Os Suecos vao a Alemanha
- Os Irlandeses ao Ulster
- Os Portugueses vao a espanha meter gota e abastecer-se nos supermercados
- Os irlandeses vao ha' hungria tratar os dentes
- Os franceses vao a espanha comprar tabaco.

E sim!!!!
Nao recomendo ninguem sem experiencia a vir para a Irlanda...
Para inicio de carreira nao e' nada boa opcao...
A nao ser que venham por causa dos "leprechauns" e da Guiness.
lol!

Era uma vez um Girassol said...

Estou deliciada com este quase "forum" de emigrantes licenciados...onde são debatidos os problemas de emprego em Portugal e as grandes dificuldades em consegui-lo.
Li com atenção este longo e verdadeiro relato de experiências vividas pelo p.j., agora em Dublin, feliz da vida!
Hoje agradeço aos céus o facto de as minhas filhas terem feito o mesmo, ou seja, "pôrem-se ao fresco"...!
"Exactamente, não comprem casas nem carros nem se endividem, aleijem-lhes onde dói porque a nós é que já nos conseguem magoar mais."
Quanta sabedoria numa frase só!!!
Parabéns, jovens licenciados que se atiram ao Mundo, já que há tanto Mundo lá fora para descobrir.
Grande abraço para todos

Anonymous said...

Sei não, eu trabalho em TI há 24 anos, bem mais de metade por conta própria, practicamente nunca tive problemas em nenhuma empresa, mas está claro que essa de "jantares pagos" ou "subsídios de natal" ou "férias pagas" ou "horas extras pagas" nunca fizeram parte do meu mundo... Prefiro ganhar por mim próprio aquilo que considero justo (e quase sempre tenho ganho "quase" isso) e prescindir dessas "benesses". De resto vou agora para a Irlanda, não tanto pelo dinheiro (só vou ganhar mais 50% do que cá, mas cá a fuga aos impostos é um desporto, portanto fica quase ela por ela) mas mais talvez pela aventura. Mas a verdade é que o mercado português está "viciado", muitos poucos controlam quase tudo, que tb é só banca e seguros e pouco mais... O pessoal do Porto (onde eu já trabalhei e de onde tenho muitos colegas) continua com aquela ideia provinciana (descupem, mas é a palavra certa) dos "gajos de Lisboa", qd eles são explorados (e são, eu sei) mas é pelos próprios "empresários" "portuenses" (tb os há empresários a sério claro) e queixam-se muito em vez de agirem, e é por isso que o Porto, sendo a 2ª cidade portuguesa, practicamente não existe em termos de TI. Mas já vou longo no meu comentário...

Anonymous said...

Mas tu já começaste a ajudar a mudar esta merda pelos vistos. Bazaste e dimunuiste a concorrencia. É pena não haver ainda mais gajos a fazer como tu...
Isto para mudar só com uma bomba

p.j. said...

Ui.... Se so vens ganhar mais 50 % nao vale mesmo nada a pena a mudanca.....

Alias segundo a OCDE os precos em Portugal ja sao 88% da media da UE. Na irlanda sao 128%.... Ou seja esses 50% esfumam-se no custo de vida....

Mas podias era vir trabalhar como contractor e ganhar 500 E ao dia, pelo menos. Se tens 24 anos de experiencia ate' provavelmente conseguirias mais. Mas o mercado ideal para contractors e' Londres. Ja vi ofertas de 650£ (975 €) a 800 £ (1200 €) ao dia!!!!!!!!

Mas la' esta'... cada caso e' um caso... e eu acho q no teu caso nao tinha saido de Portugal...
Mas se as tuas razoes sao so' ter uma experiencia de vida no estrangeiro, entao ha muita gente q esta aki em Dublin exactamente por isso. Alias a area de IT esta' cheia de trota-mundos. Ha' muitas pessoas q estao 1 ou 2 anos num pais e mudam p outro... E' uma boa area para conheceres o mundo ao mesmo tempo q trabalhas....

joamag said...

Eu também trabalho no estrangeiro (Dinamarca) na maior companhia de software do mundo (acho que não preciso de dizer o nome) e também tirei o curso na FEUP. Só tenho um conselho para ti... Nem tudo na vida é dinheiro. Para mim Portugal é o melhor pais do mundo para se viver, e qualidade de vida é coisa que nem sempre o dinheiro compra (ex: USA). Mais vale ser-se escravo de uma empresa que escravo da vida... No sitio onde estou a viver sinto que tenho uma vida vazia, que vivo para trabalhar, ir ao ginásio e sair com pessoas "quase" desconhecidas ao fim-de-semana. Em Portugal existe tanta coisa boa para fazer (acho que vais notar isso). Dentro de um ano voltamos a falar :P (eu já de Portugal)

mnvalente said...

Cara Joamag, não posso deixar de entrar neste forum para te/lhe dizer que não precisa de ser bem assim. Fazes me lembrar os meus colegas que foram em Erasmus e voltaram passado duas semanas muito desgostosos e cheios de saudades.

Não posso acreditar que na Dinamarca não existam outros portugueses, espanhois, estrangeiros com alguma afinidade ao nosso espírito latino com quem seja fácil estabelecer uma relação de amizade... Todos os espanhois de 30 anos viram o Verão Azul, todos os franceses sabem assobiar a música das Cités d'or. Temos todos pontos comuns.

Não posso acreditar que não seja possível encontrar amigos por essas bandas em clubes de montanhismo, escolas de linguas, aulas de yoga, ginasios, aulas de pintura, poesia, dança, cineclubes, condominios...

Por cada sítio em que passei encontrei um amigo/a. Coragem e ânimo!

Anonymous said...

Marduk Rules!!!!!

Rita said...

Joamag,

construir uma vida social implica esforco..pequenos passos e acima de tudo vontade de construir uma..
Eu também vivo na Dinamarca (em CPH) e nada tenho que criticar..se há país onde há tempo para ter uma vida social é este..onde o direito a uma vida p/ além do emprego é reconhecido e incentivado pelas próprias empresas. Mas é preciso esforco é...sair com desconhecidos pode ser reescrito como oportunidade de conhecer pessoas..e se em cada 10 pessoas que se conhece 1 fica amigo..então valeu o esforco.
Na mh opiniao existem dois tipos de "emigrantes" :
- os que aproveitam a vida e as coisas boas do pais em que estão (coisas más há em todo o lado)e
- os que contam os minutos para o proximo voo para Portugal, comparam a mais pequena coisa com o equivalente em Portugal e passam a vida entre o telefone e o email..sem dar uma oportunidade ao país que os acolhe agora e a potenciais novos amigos..

Acho que pelo menos nos últimos tempos (visto que voltas p Portugal em breve) deves dar uma segunda oportunidade e tentar descobrir as coisas boas da vida na Dinamarca..para mim há muitas..

Se estiveres em CPH ou arredores, e quiseres combinar alguma coisa o meu email é ritalencastre@gmail.com

Anonymous said...

Gostei especialmente da frase "Funciona tudo de “boca em boca, como no recrutamento para a Mafia”.

A Irlanda é, e deve ser, tomada como um exemplo daquilo que Portugal podia ser e não é! Que sorte estar aí.

Tenho pena, mas realmente este é um país de gente mesquinha e que adora tramar os outros. Depois dão-se palmadinhas nas costas e fica tudo bem.

joamag said...

Sim, eu compreendo exactamente o que dizes. Com as minhas palavras não me queria referir a Copenhaga directamente (embora neste momento seja complicado: frio). Também já andei em ERASMUS (Madrid) e sei que as coisas não variam muito só porque o país é diferente, mas claro que o facto de ser muito frio e de a língua ser um grande obstáculo a um bom relacionamento com os “nativos” faz uma certa diferença em Copenhaga.
Quanto á questão dos amigos… eu acho que fui mal interpretado. Eu conheço bastante gente e tenho muitos amigos em Copenhaga, aliás acabamos de fazer (este fim-de-semana) uma viagem a Amesterdão todos juntos. Como disse no meu post todos os fins-de-semana tenho festas em casa de amigos ou saídas com eles. Felizmente a Microsoft tem um ambiente super diversificado, penso que temos mais de 40 nacionalidades a trabalhar no campus, e por isso fazer amigos não é uma coisa difícil. O problema é que o relacionamento é sempre condicionado por uma certa diferença cultural, ou mesmo pelo obstáculo da língua, para mim o inglês impõe sempre algum distanciamento no relacionamento. Não sei se sou o único a sentir isso, mas pelo menos os colegas (portugueses) que vivem no meu apartamento sentem o mesmo.
Estou com saudades de ir comer e falar alto (em português) com os meus amigos num bar em Portugal depois de ter ido jantar fora com bebida a descrição por (20€ vs 60€ na DK). Acho que muitos de vocês se podem identificar com esta situação, não?
Com isto não quero dizer que estar a trabalhar fora seja uma má experiencia (muito pelo contrario) …. Ajudou-me a crescer e no meu caso deu-me uma grande experiencia numa grande companhia, noutra perspectiva ajudou-me a reconhecer a quantidade de virtudes que Portugal tem (ás vezes e preciso não se ter para dar valor) … Acho que simplesmente não sou do tipo de ficar fora por muito tempo… Gosto demasiado de Portugal e acho que não fui feito para construir toda uma vida no estrangeiro.

Anonymous said...

Meus Amigos,
Nunca desejem que Portugal seja uma Irlanda no sentido abrangente do termo, pois isso significaria ter hospitais que nao detectam o cancro da mama, cocaina comida e bebida que origina idas para os hospitais incluindo a morte da jovem modelo de 24 anos, CCTV a substituir a policia.....enfim somente para dar uns exemplos.... O problema real de Portugal 'e a cultura do nosso povo diletante, todos nos queremos ser ricos nao 'a custa do trabalho mas sim no Jackpot do Euromilhoes....eu pelo menos so sincero e confesso, sou apenas mais 1 no meio dos 10 milhoes de Tugas:-)

Anonymous said...

Essa do Português se estar sempre a queixar é bem verdade....porque está sempre a ser lixado! Esta é a realidade e temos que nos queixar mais e mais! E têm que "rolar cabeças" o que não foi feito no 25 de Abril! O balde mudou mas a "MXXXA" é a mesma.
Também o mito criado em PT que não há dinheiro, foi criado para o patronato justificar o pagamento miserável e as condições precárias que dá aos seus empregados. E é tão flagrante que até os próprios empregados justificam que ganham mal por causa da crise!!
Mas para os patrões, mesmo do sector público, ele são as viagens de "trabalho" em luxo em hotéis do melhor, salários chorudos, concursos de promoção, é o carro novo, o novo apartamento de férias, a remodelação da casa com o novo mobiliário!
E os gastos no próprio serviço, despesas escândalosas justificadas. Um portátil para cada chefe falar melhor no msn e ver os mails, ele é o pda, o gps a remodelação do gabinete do secretário de Estado e dos ministros!

E o já tão conhecido gasto do fim do ano em que saem dos cofres do Estado milhões, que têm que se esturricar o dinheiro senão para o ano recebem menos no orçamento.
Agora multipliquem por todas as câmaras municipais e todos as instituições do Estado e vejam o desperdício!!!!

P.J. said...

Tshhhhh...isto ainda gerou muitos posts pelo que vejo...

Desculpem-me mas esta frase do joamag, nao posso deixar de responder:

"Para mim Portugal é o melhor pais do mundo para se viver, e qualidade de vida é coisa que nem sempre o dinheiro compra"

E agora pergunto-te eu:
"Que raio de qualidade de vida se pode ter, se um gajo e' forcado a trabalhar 10 a 12 horas por dia e passa o fim de semana a dormir para recuperar do cansaco?"...

Eu vejo-te como um caso de amigos meus que mal acabaram o curso foram para fora... e depois la' voltaram pq ja tinham junto algum $$$ e ja' tinham saciado aquela curiosidade do "ver como e' la' fora" ... e o que e' certo e' que ja' se arrependeram de voltar.... Pelo menos para o Porto...

Portugal e' bom enquanto vives com os papa's ou enquanto tens o subsidio de arrendamento jovem... Depois o caso muda de figura...

Anonymous said...

Boa tarde,

De facto um blog fantástico!! Parabéns a todos pelas vossas opiniões...

Vivo no Porto e concordo com tudo o que foi dito sobre a minha cidade! e sobre Portugal! Sou licenciado em gestão de Sistemas de Informação, e acabo de terminar um MBA.

Em 1987, tive oportunidade de estar na Malásia durante uns meses pela Siemens, mais tarde voltando a Portugal o qual hoje me arrependo totalmente.

Vou estar em Agosto na Irlanda a procura de emprego, se houver alguém que possa ajudar, com dicas, etc...ficaria agradecido.

Obrigado.

Miguel Videira said...

Olá!

Estive a ler o teu post no blog mindthisgap e gostava que me desses algumas informações e esclarecimentos de como fizeste para sair de Portugal (ex: que sites de recrutamento consultaste, que sites de empresas pesquisaste, etc).

Obrigado pela atenção e desejo que esteja tudo a correr bem.

Cumprimentos,

Miguel Videira

PS: miguelvideira@gmail.com