30.3.08

Alex Tomás, Licenciado em Informática de Gestao (UM).Madrid, Espanha

Porque saí do pais?
Porque quando terminei o meu curso (com estágio incluido), houve uma multinacional que colocou no mercado portugues a oportunidade para trabalhar na Alemanha em SAP durante 2 anos, com salários de 70 contos além de pagar hotel e viagens a Portugal todos os meses. Nós (sim, eramos 10) talvez pela vontade de trabalhar, arriscamos.
No meu caso (apesar de a minha mae ser contra), apenas o justificava da seguinte forma: "Eu vou para lá e vejo como é aquilo. Se nao correr bem, tenho cartao de credito e compro um bilhete de aviao e venho embora".
Leiam apenas esta: encontrei os outros 9 no Aeroporto Sá Carneiro e uma das colegas perguntou-me: "entao estavas desempregado?". Ao que eu respondi: "nao, nao consegui foi arranjar trabalho".
A única coisa que me atrofiava a cabeca era o facto do pais destino ser Alemanha. O meu ingles era muito, muito fraco e nao sabia nem uma palavra de alemao.
A vontade de comecar a trabalhar alem de querer aprender ingles, sobrepôs-se ao receio de emigrar.

A partir desse dia nunca mais parei. Houve colegas que regressaram antes dos 2 anos, houve outros que desistiram e os restantes sairam quase todos da empresa ao fim do contracto. As nossas condicoes económicas melhoraram passado 6 meses, passando dos tais 70 contos para um salário variável que podia atingir valores muito aceitáveis, além de termos "living-allowances" (julgo que o medo da empresa em perder-nos (depois do investimento inicial) levou-os a abrir os cordoes a bolsa. O facto de sermos 10 tb ajudava porque eramos como um mini-lobby).
Nesses 2 anos de contracto, trabalhei 1 ano em Estugarda e 1 ano em Eindhoven (Holanda) com uma pequena passagem pelo Pais de Gales.
Depois disso trabalhei em Portugal durante 1 ano a recibos verdes (Lisboa e Figueira da Foz). Foi uma óptima experiencia e trabalhei com pessoas muito uteis.
No entanto deu já para perceber que a mentalidade portuguesa em questoes de trabalho é muito mesquinha. Enquanto existir isso de "Sr. Eng°" ou "Sr. Dr." em vez de chamar as pessoas pelo nome ou por tu, sendo elas o dono da empresa ou o teu chefe directo, nao acredito que Portugal avance muito. Outra coisa é o facto de o pessoal sem ter contacto directo com clientes ou publico, ter de vestir fato.
Mas a conclusao é óbvia (como eu costumo dizer sobre os Portugueses): "pequeninhos mas orgulhosos".
Depois mudei-me para Espanha - Málaga (espectacular) onde tinha trabalho e boa vida (ainda é a minha cidade favorita para viver fora de Portugal).
Depois voltei a mudar-me desta vez para Barcelona.
A seguir fui novamente para a Alemanha - Munique (deve ser a cidade menos alema da Alemanha). Uma cidade cuja qualidade de vida deve ser das melhores do mundo. Só o tempo nao acompanha mas de resto é espectacular.
Estive por ali pouco mais de 1 ano.
Depois voltei a Espanha - Málaga.
Depois fui mais uma vez para Portugal onde estive em Lisboa mais 9 meses. Gostei bastante ja que a empresa é uma multinacional onde essas etiquetas portuguesas nao sao muito seguidas.
Mais uma vez dei de frosques, desta vez rumo a Belgica - Bruxelas.
Depois mudei-me para Italia - Milao (Italia como pais é fantástico - Milao é uma cidade a evitar para aqueles que desejam fazer turismo - cidade escura e feia. Apenas tem a Duomo, o La Scala (comprem bilhetes com muita antecedência porque apesar de custarem mais de 100 Eur estao quase sempre esgotados) e pouco mais tem que ver).
Depois de Milao, fui mais uma vez para a Holanda - Haia (capital mundial da paz e da justica). Foi por pouco tempo mas Holanda é dos paises que mais gosto.
Actualmente estou em Espanha - Madrid e já estou aqui há mais de ano e meio. Gosto bastante de estar aqui mas está próxima a data de validade.
Falo fluentemente Inglês, Espanhol, Italiano e Frances. Alemao entendo muitas coisas mas falar ainda nao me foi possivel.
Como todos, gostaria agora de voltar a Portugal e ficar por lá... mas cada vez que lá vou nao vejo nada para mim. A mentalidade continua a mesma, os anos passam e as pessoas cada vez sao menos (pelo menos nas cidades onde vou).
Sinceramente estou num momento de indecisao na minha vida: nao sei se quero continuar com esta vida de nomada e se quero continuar a trabalhar naquilo para que estudei. Comeco a estar um pouco farto e dai pensar que poderia dar o meu contributo ao pais... mas a pergunta mantem-se: "alguem me pediu ajuda?"
Quem quiser pode escrever-me para o email: alex_tomas_bi@hotmail.com

14 comments:

Zé said...

desculpa lá a pergunta mas quando foste para a Alemanha recebias 70 contos - 350 euros???? Se nem em PT se (sobre)vive com isso quanto mais na Alemanha...

cadu1981 said...

o que fazes? na arranjas ai work

Ricardo said...

Alex, só uma dúvida. Aquele (UM), é Universidade Moderna ou Universidade do Minho?

André said...

Desculpa perguntar mas como já estiveste em tanto locais, qual a tua idade? Pensei que só estes últimos anos tenham sido complicados para trabalhar em informática em Portugal e ser reconhecido monetáriamente.
Eu sou licenciado em Engenharia Informática. Trabalho na área de BD's. Sempre tive vontade de ir para Espanha. Espanha está muito melhor que Portugal?

Aparelho de DVD said...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If ossible gives a last there on my blog, it is about the Aparelho de DVD, I hope you enjoy. The address is http://aparelho-dvd.blogspot.com. A hug.

Duarte Aragão said...

Eu estou a terminar Engenharia Informática, acho curioso que tenhas encontrado dificuldade em Portugal de arranjar emprego... de resto não percebo mesmo. Tenho tido a sorte de ser contactado por empresas com variadas propostas de trabalho, mas com a tua conversa já não tenho a certeza se estou a pensar bem.
É assim tão dificil arranjar um emprego em informática em Portugal? 350€?
Sinceramente a mim parece-me mais facil, mas como é obvio ainda não tenho emprego, portanto ainda não sei.
Seja como fôr gostava de saber por ondes tens passado? Gostava de descobrir empresas lá fora que são interessantes e que estão dispostas a apostar em Portugueses:D
Obrigado

Anonymous said...

Boas tb tirei Ig e trabalho na area, nao tive qualquer dificuldade em arranjar emprego em pt. Estou mto bem até... Não compreendi a decisão de ir para a alemanha a ganhar 70 contos... Só se foi pela aventura. Cumps

Anonymous said...

Boas tb tirei Ig e trabalho na area, nao tive qualquer dificuldade em arranjar emprego em pt. Estou mto bem até... Não compreendi a decisão de ir para a alemanha a ganhar 70 contos... Só se foi pela aventura. Cumps

Anonymous said...

Boas tb tirei Ig e trabalho na area, nao tive qualquer dificuldade em arranjar emprego em pt. Estou mto bem até... Não compreendi a decisão de ir para a alemanha a ganhar 70 contos... Só se foi pela aventura. Cumps

Anonymous said...

Boas tb tirei Ig e trabalho na area, nao tive qualquer dificuldade em arranjar emprego em pt. Estou mto bem até... Não compreendi a decisão de ir para a alemanha a ganhar 70 contos... Só se foi pela aventura. Cumps

Claudette Guevara said...
This comment has been removed by the author.
Anonymous said...

Se os tais 70 contos (CONTOS, não €), foram pagos há 15 anos atrás... não é dificil perceber.
C.

Anonymous said...

Resposta a algumas pessoas:
é certo, 70 contos nao sao nada agora nem na altura que isso aconteceu.
Em Portugal havia dezenas de ofertas na minha área mas eu tinha acabado o estágio há pouco tempo e apareceu essa oferta, ainda por cima no estrangeiro: arrisquei e funcionou.
Alguem aludiu tb que 70 contos nao eram nada em Portugal muito menos na Alemanha: nao esquecer o que escrevi. Fui para lá com hotel pago e ajudas de custo (apenas chegavam para fazer um refeicao em condicoes).
Ao fim de 6 meses a coisa melhorou e muito... mas isso já o disse no meu "post".
Cumprimentos,
Alex Tomás

tatoia said...

Xii Alex, que experiencia de vida tão rica e preenchida! Parabéns!

De facto, já em Portugal eu tinha a sensação que as pessoas têm mentalidades pequeninas e orgulhosas e que isso devia afectar o bom desenvolvimento das empresas e do país... mas desde que me mudei para a Irlanda ainda sinto mais isso....

De facto é uma parvoice teres que andar arranjadinho quando não lidas com clientes... teres que tratar as pessoas pelo DR.. e Eng. quando isso não aproxima em nada a relação entre colegas de uma mesma empresa, trabalhando para um bem comum! O sucesso da empresa!

E sim, compreendo, o País não nos pediu ajuda nem está disposto em nos apoiar em troca... muito pelo contrário...

Não voltes não... Portugal para mim é só bom pelo Sol e pelos poucos amigos e familia que ainda lá tenho ;)

Beijinhos e boa sorte nessa decisão.

Vanessa, Dublin.